#15 Por que estudar Foucault?

Capa ep15 foucault botao-baixar-maiorbotao-assinar-maiorbotao-compartilhar-maiorbotao-twittar-maior

Saudações pessoal!

Neste episódio trazemos o bate-papo, que estávamos devendo desde o ano passado, com os nossos amigos, os professores e pesquisadores, Daniel Galantin (Universidade Estadual de Londrina) e Thiago Ribas (Universidade Federal do Rio de Janeiro) sobre a atualidade do pensamento do filósofo francês Michel Foucault.

Em uma conversa gravada no início de 2018 – e que quase se perdeu devido à problemas técnicos – nossos dois convidados falam aos ouvintes do Hiperbólico “um pouco de tudo” sobre Foucault. Tratam da trajetória pessoal e intelectual do pensador, de seus temas, estilos e métodos de pesquisa filosófica, da recepção e tradução no país e, principalmente, trazem os problemas – mais que atuais – que o filósofo abordou e que ajudam à responder à pergunta: “Por que estudar Foucault?”.

Enfim, é uma conversa para quem quer conhecer um pouco mais sobre o que pensava esse importante filósofo contemporâneo, mas também é uma significativa apresentação para aqueles que podem ser considerados já “iniciados” na filosofia.

Pois bem… desde já agradecemos a espera e a escuta!

Curta e compartilhe por favor!

Bora lá!

Continuar lendo

Anúncios

#4.A – A VERDADE É POSSÍVEL? (1.ª Parte)

Vitrine ep 4botao-baixar-maiorbotao-assinar-maiorbotao-compartilhar-maiorbotao-twittar-maior

#4 A verdade é possível? (1.ª Parte)

Olá caros e caras ouvintes!

Nesse episódio, dividido em duas partes, abordamos uma das questões que inquietam a humanidade desde a origem da consciência da relação com o mundo – A Verdade é possível? Para tanto, contamos com o Prof. Dr. Jorge Luiz Viesenteiner (UFES) e Prof. Maurício Bueno da Rosa, doutorando pela UFSC.

Nosso ponto de partida é o texto Sobre Verdade e Mentira no Sentido Extra-moral de Nietzsche, nos permitindo refletir a respeito da construção ocidental da noção de verdade, bem como de suas limitações – “É possível, afinal, sermos imparciais ou objetivos?”, “Qual a relação entre verdade e convenção?”, “A verdade é imbuída de um conteúdo moralizante?”.

Continuar lendo