#19 Coronavírus: saúde mental e pandemia – como manter-se são?

Capa ep19 botao-baixar-maiorbotao-assinar-maiorbotao-compartilhar-maiorbotao-twittar-maior

 

Caros e caras ouvintes do Hiperbólico… como estão vocês!?

Se você nos ouve entre o final de março e o início de abril de 2020, provavelmente está estressado com o excesso de informações, tanto da mídia tradicional, quanto aquelas que circulam nas redes sociais. É possível que esteja inseguro, pois aquela pandemia de um vírus da família corona, que afetava a China, que parecia tão distante, chegou ao Brasil.

Você ouviu falar sobre o primeiro caso registrado no dia 26 de fevereiro de 2020, foi retratado em todas as mídias, mas o discurso padrão era de que não havia preocupação caso as autoridades tomassem as medidas necessárias. No entanto, os casos se multiplicaram ao longo dos dias – “são somente casos de pessoas que viajaram ao exterior”, diziam. 

No entanto, a expansão da pandemia não parou, as notícias sobre os perfis de risco passaram a ocupar dos principais tabloides até as figurinhas de Whatsapp. Os especialistas começaram a falar em colapso do sistema de saúde e caos econômico, havia a necessidade de distanciamento social ou quarentena para que não repetíssemos o drama italiano, ou algo pior.

Você tem medo pelos seus familiares e amigos, principalmente os idosos ou pessoas com comorbidades. As escolas e universidades são as primeiras a fecharem, depois os restaurantes e, em seguida, o comércio em geral. As ruas ficam desérticas, até que, os pronunciamentos do Sr. Presidente, Jair Bolsonaro, entram em choque com as medidas dos estados e municípios e até mesmo com a do seu Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. A insegurança aumenta. Para quem já estava no isolamento social, a paranoia se amplifica. Para quem ainda não chegou a esse estágio, provavelmente terá de enfrentá-lo nas próximas semanas, a não ser profissionais que trabalham com serviços essenciais, como da segurança e do abastecimento. Sem falar em quem é da saúde – esses se preparam para a guerra.

Sem saber quantos entes queridos perderemos, se teremos emprego ou até mesmo comida nos próximos meses (isso mesmo, meses), não ficamos nada confortáveis. Dentre esses e outros.  somos levados a um questionamento necessário: como manter a sanidade?

Para responder a essas e outras reflexões, nós do Hiperbólico, e você ouvinte, temos a honra de contar com os esclarecimentos de profissionais de peso: O psiquiatra Prof. Dr. Bernardo Rahe, o musicoterapeuta Prof. Fred Pedrosa, os psicólogos Rafael Zeni e Tássila Favarato e nosso colega Prof. Dr. Jorge Viesenteiner.

Esperamos que gostem, curtam (e compartilhe) esse episódio!

Ficamos à disposição para possíveis dúvidas, sugestões e informações complementares. É só nos procurar! 

Seguimos com vocês desejando de que tudo venha a ficar bem muito em breve e com todos!

Bora lá!

 

 

cover ep19

Ficha técnica do episódio:

#19 Coronavírus: pandemia e saúde mental – como manter-se são?

Duração: 1:51’10”

Data: 13/04/2020

Produção: Douglas Lopes e Maurício Rosa Bueno.

Convidados:

*Bernardo Rahe

Médico graduado pela Faculdade de Medicina Dr. Hélio Mandetta da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (Famed-UFMS) com Residência Médica em Psiquiatria pelo Hospital Santa Marcelina. Atualmente é Professor de Psiquiatria do Curso de Medicina da Faculdade Santa Marcelina (FASM). Experiência Clínica e Acadêmica em Saúde Mental da População LBGTQIA+ e Medicina Sexual, além de podcaster no Coletivo Ser.

*Frederico Gonçalves Pedrosa

Docente da Graduação em Música com Habilitação em Musicoterapia da Universidade Federal de Minas Gerais. Mestre em Musica pela Universidade Federal do Paraná (2018) e Bacharel em Musicoterapia pela Faculdade de Artes do Paraná (2010) atua em pesquisa nas áreas de musicoterapia, educação musical e cultura popular. Foi bolsista do Processo de Iniciação Científica da Faculdade de Artes do Paraná onde pesquisou a música ambiente dos ônibus da cidade de Curitiba. Foi professor colaborador do curso de Bacharelado em Musicoterapia na Universidade Estadual do Paraná entre 2016 e 2017, onde ministrou as disciplinas relacionadas à linguagem, execução e aprendizado musical além de supervisionar estágios em Saúde Mental e orientar trabalhos de conclusão de curso. Participa dos grupos de pesquisa Centro de Estudos em Musicoterapia, CEMT-CNPq, e do Núcleo de Estudos e Pesquisas Interdisciplinares em Musicoterapia, NEPIM-CNPq. Participou do projeto de extensão Música dos Povos com o grupo Omundô e fez parte do grupo Jazz Cigano Quinteto da Orquestra Rabecônica do Brasil e dos grupos Paranambuco e Trio Maracaxá com os quais estuda e desenvolve apresentações utilizando-se da linguagem musical das culturas tradicionais brasileiras e de outras regiões do globo. Além disto, tem experiência com atuação e supervisão de estágios nas áreas de Saúde Mental, Dependência Química e Educação Especial.

*Jorge Luís Viesenteiner

É doutor em filosofia pela Unicamp e Professor do Programa de Pós-graduação em Filosofia da Universidade Federal do Espírito Santo. Fez doutorado Sanduíche pela Ernst-Moritz-Arndt Universität Greifswald/Alemanha, sob orientação do Prof Dr. Werner Stegmaier. Pós-doutorado na Radboud University Nijmegen/Netherland, com trabalhos conjuntos realizados com o Prof. Dr. Paul van Tongeren. Foi coordenador da Pós-graduação em Filosofia (Mestrado e Doutorado) da UFES, bem como do Mestrado Profissional em Filosofia – PROF-FILO, Núcleo-UFES.

* Rafael Zeni

Possui graduação em Psicologia pelo Centro Universitário São Camilo(2012). Atualmente é Psicólogo Clínico da Universidade Federal de São Paulo e Educador Sexual da Universidade Federal de São Paulo. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Tratamento e Prevenção Psicológica.

* Tássila Fróes Favarato

Graduada em Psicologia pela Fundação de Assistência e Educação – FAESA-ES – 2010. Pós-graduada em Análise Institucional, Esquizoanálise e Esquizodrama: Klínica de Indivíduos, Grupos, Organizações e Redes Sociais, pela Fundação Educacional Lucas Machado – FELUMA-MG e Faculdade de Ciências Médicas-MG, em parceria com a Fundação Gregorio Baremblitt – FGB-BH. Pós-graduada em Docência no Ensino Superior pela Universidade Católica Dom Bosco – UCDB-MS. Atuação: Consultório de Psicologia.

 

Trilha sonora utilizada: 

  • Na abertura do episódio você ouvirá a canção “Where is my mind” (do álbum “Surfer Rosa” do ano de 1988) da banda americana Pixies. Ao final, segue a composição “Abraço” de nosso convidado Fred Pedrosa.

 

Para saber mais:

Coletivo SER – Sexualidade e Saúde

5860a1_c41b9ceb9231481d887b4a125f12f676mv2

https://www.sexualidadeesaude.com.br/ 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.