#7 Mulheres invisíveis, quem são elas?

capa episodio 7 botao-baixar-maiorbotao-assinar-maiorbotao-compartilhar-maiorbotao-twittar-maior

#7 Mulheres invisíveis, quem são elas?

Saudações caros ouvintes do hiperbólico!

Desculpe-nos a longa ausência de novos episódios, mas a vida, por vezes, também é hiperbolicamente atarefada!

No episódio de hoje trataremos da questão da invisibilidade social. Mais especificamente da invisibilidade social de diversas mulheres. Não, não, não. Não se trata de algum fenômeno mágico que faz algumas mulheres tornarem-se invisíveis (como nos contos de ficção científica), mas sim da condição de pobreza, violência, exclusão e vulnerabilidade social que não é vista e nem sentida por muitos na sociedade. Uma condição que não aparece na grande mídia, não produz estatísticas e é pouco estudada nos centros de pesquisa e universidades.

O episódio, assim, sai um pouco do campo dos conceitos e teorias filosóficas e avança para o mundo das pequenas ações práticas e dos “micro” ativismos feministas que tentam oferecem à milhares de mulheres uma janela para sua humanização.

E nada melhor que alguém militante e atuante nesse campo para conversar conosco sobre esse assunto pouco debatido e compreendido. Nesse sentido, temos o prazer de contar com os emocionantes relatos e o conhecimento prático da psicóloga e filósofa Priscila Dias da Organização Social Íntimo Colorido. Priscila nos explicará em que consiste a invisibilidade social de mulheres e nos contará um pouco de suas atividades com mulheres de diversos lugares do Brasil e do mundo.

Os relatos de Priscila são profundos e contundentes e talvez promovam entre nós todos uma maior conscientização sobre o tema e a motivação à mobilização prática e teórica em relação aos problemas apresentados.

Agradecemos mais uma vez a escolha pelo nosso canal e desejamos a todos uma ótima escuta e boas reflexões!

Bora lá e até a breve!

cover episodio 7

Ficha técnica do episódio:

#7 Mulheres invisíveis, quem são elas?O ativismo feminista como uma janela para a humanização

Duração: 01:41

Data: 19/10/2017

Produção: Douglas Lopes, Márcio Jarek e Maurício Bueno.

Convidada:

Priscila Dias (https://www.intimocolorido.com.br)

Trilha sonora utilizada: 

elzaAlbúm “A mulher do fim do mundo” de Elza Soares (Link: https://www.youtube.com/watch?v=-m393EagdSk)

Se você é compositor, envie a sua trilha para sonorizar o Hiperbólico através do email contato@hiperbolico.com.br ou do formulário disponível na postagem.
https://goo.gl/forms/tBXCBmAWZsO8mdMv2

Livros e reportagens mencionados no episódio:

ARENDT, Hannah. A condição humana. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1991.

o quarto

JESUS, Carolina Maria. O quarto de despejo: diário de uma favelada. São Paulo: Ática, 2004.

 

 

 

Por que homens matam mulheres?  El pais. 09 de jul. de 2017. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/07/08/internacional/1499533272_517542.html

Brasil lembra centenário de escritora que definiu favela como quarto de despejo. Agência Brasil EBC. 14 de mar. de 2014. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2014-03/brasil-lembra-centenario-de-escritora-que-definiu-favela-como-quarto-de

Outros podcasts sobre o assunto:

Mamilos – Sobre a Lei Maria da Penha – Disponível em: http://www.b9.com.br/66662/mamilos-78-lei-maria-da-penha-e-derrotas/

Anticast – Projeto Humanos

Sugestões de livros, filmes e sites para aprofundamento:

angela davis

DAVIS, Angela. Mulheres, raça e classe. S.Paulo: Boitempo, 2016

Os documentários “Lute como uma menina” (2015) de Flávio Colombini e Beatriz Alonso (https://www.youtube.com/watch?v=8OCUMGHm2oA) e “O aborto dos outros” (2008) de Carla Gallo (https://www.youtube.com/watch?v=de1H-q1nN98)

que horas

O filme “Que horas ela volta” (2015) de Anna Muylaert.

O vídeo explicativo de Priscila Dias sobre as atividades de sua ONG se encontra no youtube no seguinte link: https://www.youtube.com/user/PriscilaIntimo

Também visite o site e ajude a Organização Social Íntimo Colorido:

https://www.intimocolorido.com.br/

Fotografia:

“At the Dandora dump”, de Micah Albert (2013).

– A imagem da capa desse episódio foi retirada do material de divulgação da Organização Social Íntimo Colorido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s